Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Mar

por esquisita, em 30.03.22

 

Venho da água,
O meu mar mãe azul, profundo e poderoso,
sem poder contrariar a força
emergente da terra,
por raiva a isola em espuma branca
e a veste de eterno verde,
O meu mar é mãe
tanto quanto o verde mar pai,
é água de que nasci,
a salgar de branco a disputa pela terra
que o obriga a recuar,
rasgando caminhos líquidos de azul

Foi da água que vim,
é o mar que junta o que sou

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sentido

por esquisita, em 28.03.22

 

Tenho a estranha sorte de ter o sono limpo de sonhos. Desafiar o entendimento, em nada altera a noite, mas pode transformar a manhã.

 

Esfregou as mãos no avental branco para se assegurar de que estavam limpas.

"Homem-da-boia, ao ser dispor!"

Estranhei a mesura, não a sua presença. Sempre lá esteve, no entanto, por motivo que me escapa, nunca me tinha demorado neste homem. É natural que volte agora, para que se deixe conhecer.

"A comida dele está pronta." 

Lentamente, cruzou os braços por cima do arco da barriga como quem aguarda com paciência por resposta depois de ter dado o primeiro passo. Era a minha vez.

"Já não será necessário, ele…"

A cadência com que indicador direito batia acima do seu cotovelo esquerdo, revelava um certo desconforto. 

"Estou a par do sucedido! É de lamentar…"

Deu ao rosto redondo uma expressão grave de pesar e em simultâneo arredondou os braços no arco inverso, tentando juntar os dedos sob a barriga.

Percebi que por aí não era caminho, tentei corrigir a rota.

"Podia ter sido diferente?"

Encolheu os ombros, recompôs o rosto.

" Fiz o que faço sempre, atender à boa vontade das amizades, contar as pratas, alimentar falsários…"

"Seria este o caso?"

De novo as suas mãos se esfregaram no avental.

"Tem toda a razão, o caso é outro… Ouviu os boatos?"

Finjo-me acima dos rumores, contudo ambos sabemos que os conheço.

"Se me permite que lhe diga, nem cartas, nem extravios! Foram os biombos, os muros… toda espécie de alvenaria. Acredite, foi a parede!

 

Ao que está completo, nada posso acrescentar, mas por muito que o negue, a cabeça pede um sentido.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Desnorte

por esquisita, em 20.03.22

 

O dia já é meio,

a outra metade caminho

 

Ligados pela metade,

desunidos os passos no andar, 

Juntos o vagar do dia

e a pressa da razão, 

não lhes importa a estrada,

querem saber onde estão

 

O que sabem é metade,

meia certeza do saber

 

Adiante o mar poente,

reverso passado do nascer

A direito lhes sopra a estrela,

do outro lado coração

não lhes importa o que os move,

querem saber onde estão 

 

E o que dizem os sinais?

8730

Querem saber onde estão…

20220227_152740.jpg

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

90⁰

por esquisita, em 12.03.22

 

Como o esquadro estava de folga e a suta é uma ferramenta muito complexa, resolveram confiar no olhometro mais no santo protetor do desenrasque, e segue a direito, que alguma coisa isto há-de dar.

E deu - sarilhos grandes, caldo entornado! Então, e agora?

Vai de chamar o bombeiro, que há fogo no circo!

Ó meus senhores, mas o que é que é isto? Não projetei, não calculei, não desenhei, expliquei, avisei…ei…ei…ei…e mais ei!

Antes que a coisa comece a grilar, tem calma mulher, é melhor retificar a esquadria… vendo bem, qualquer um se engana e o que ferve a 90⁰, não é a água, é o ângulo recto!

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Mulher

por esquisita, em 08.03.22

 

Ser mulher chega sempre primeiro
e nem me importo porque sou,
mas quando chego, já lá estão tantas outras, definidas e decididas,
à espera que seja eu,
que só me apetece despir,
para expor a carne
que há por sob a pele
de ser mulher

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Um dia dizer...

por esquisita, em 06.03.22

 

... aprendi,

meu pai, minha mãe,

a furar a onda,

a desfazer a cama, 

deixa que digam, deixa que falem,

e o beijo também...

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Basaréu

por esquisita, em 04.03.22

 

Quanto tempo em cima do muro?
Tanto viver equilibrado, inseguro
onde o deixaram ficar,
ficou
quieto, esquecido ou garantido

Vira o vento,
virou, caiu, tombou
Ainda lá podia estar…

Se houvessem
deuses que sorrissem,
ou criada a quem culpar
Por mor de se aquebrantar
o basaréu de bidro,
quem iremos acusar?

Aaa.jpg

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D